Português Español

Sentir e viver a cidade pelo transporte público


Sociedade nem sempre se dá conta, mas a sensação de bem estar numa cidade também se deve às condições visuais da frota e pinturas condizentes

 

Em meio a tanta poluição, congestionamentos, construções cada vez mais próximas umas das outras, túneis, pilastras, elevados, etc, é cada vez mais importante pensar na sensação de bem estar nas cidades. Apesar de terem relação, o bem estar propriamente dito e a sensação de bem estar são elementos diferentes, mas cada qual com sua importância. Uma cidade oferece bem estar quando propicia aos moradores, trabalhadores, estudantes e visitantes, o que é essencial para a vida e as atividades do dia a dia: segurança, serviços de saúde, iluminação, saneamento básico, equipamentos de educação, transporte de qualidade, vias transitáveis, entre outros aspectos. Sem eles, é impossível ter a sensação de bem estar.

No entanto, só com estes elementos nem sempre é possível ter bem estar. E neste aspecto, algo que não é muito levado em consideração pelas políticas públicas, é a busca pela beleza e conforto nas cidades. Isso mesmo, as cidades precisam ser bonitas. As cidades precisam ser vividas e sentidas pelos cidadãos. Claro que numa situação na qual as áreas urbanas sequer oferecem o básico para a população, falar em cidades bonitas, com visual agradável, parece algo com relevância menor.  Mas não é.

Image title

Estudos realizados em cidades com alto grau de desenvolvimento na Europa e na Ásia mostram que por mais que tenham equipamentos e serviços de qualidade à disposição, nem sempre as pessoas se sentem completas onde vivem e citam a necessidade de ambientes urbanos mais acolhedores. E quando alguém pensa em cidade, deve levar em consideração não apenas praças, calçadões (que estão em falta no espaço urbano brasileiro) e parques, mas todos os elementos que fazem parte da paisagem urbana. Entre eles, estão os ônibus. No dia a dia, neste aspecto, eles passam quase desapercebidos. A imagem distorcida que se tem dos ônibus é que são a de veículos grandes, que ocupam áreas nas ruas, poluem, fazem barulho e servem apenas para levar pessoas de um lado para o outro de qualquer jeito. Mas imagine agora uma cidade sem ônibus e com mais carros nas ruas? A cidade pode ter os mais belos parques e avenidas, mas tudo será marcado por congestionamentos e pessoas estressadas presas no trânsito.

Pense bem, uma cidade sem transporte público é uma cidade morta, sem dinamismo. O carro de passeio deixou de ser dinâmico há muito tempo. Como fazem parte da paisagem urbana, os ônibus precisam ter um visual qualificado, integrado ao ambiente onde estão atuando. Também parece assunto sem relevância numa situação em que as cidades oferecem sistemas de transportes precários e insuficientes. Mas também não é.

No contexto de que as pessoas precisam não apenas sobreviver, mas viver nas cidades, não apenas ver, mas sentir as cidades, a frota deve ser qualificada. Mesmo que inconscientemente, as pessoas absorvem boas ou más impressões de onde estão pela frota de transporte público. O cidadão pode estar numa avenida arborizada, ao longo de parques, praças, mas se de repente, ao lado passa um ônibus sujo, mal conservado, que solta fumaça preta, com pintura desbotada, os ganhos de bem estar deste ambiente são reduzidos. O ônibus é parte da cidade e se ele está mal conservado ou não tem um padrão visual condizente, dá impressão que esta cidade trata com desleixo quem está nela.

Aliás, sobre o padrão visual dos ônibus, há grandes erros cometidos em diversos municípios e regiões metropolitanas. As pinturas muitas vezes têm mais relação com cores de partidos políticos, simplificações para cortar custos ou mesmo criações de profissionais de design que não entendem de transportes do com a própria história ou característica das cidades. Aliás, até hoje há grupos que defendem que as padronizações das pinturas dos ônibus tiraram a identidade que as pessoas tinham com as empresas prestadoras de serviços de transportes, dificultando a identificação de linhas, igualando o mau operador com o bom e tirando o direito do passageiro, que é um consumidor, de saber quem está “vendendo” a ele o serviço.

Para muitos, hoje os ônibus são da prefeitura, do governo do estado e a empresa que opera bem não é reconhecida, mas a que não presta um mau serviço fica de certa forma protegida. A questão certamente divide opiniões. Há quem diga que se cada empresa tiver sua cor, a cidade visualmente pode ficar bagunçada. Mas os carros não têm suas cores próprias? As casas, os estabelecimentos comerciais? Não parece incoerência dizer que as várias cores dos ônibus podem criar uma poluição visual se para diminuí-la os grafites coloridos em muros e espaços públicos hoje são tidos como alternativas?

A infraestrutura dada ao transporte coletivo também é outro elemento importante para a sensação de bem estar nas cidades. Neste ponto, os corredores de ônibus BRT, se vierem com projeto paisagístico de qualidade, podem contribuir muito. Um corredor de ônibus pode abrigar área ajardinada, ciclovia, espaço de descanso e convivência ao longo de seu percurso. Assim, investir em espaços de qualidade para o transporte público é também aplicar recursos para as cidades serem mais agradáveis.

Fazer com que as cidades ofereçam sensação de bem-estar não é vender ilusões. Os serviços devem funcionar de fato, não apenas o ônibus e a cidade serem bonitos. Mas sensação não pode ser confundida com ilusão, está mais para o sentimento. E somos serem humanos, temos de nos sentir bem.


Fonte: Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes 


Dúvidas ou sugestões?

Image title

O cliente pode consultar no site do consórcio os horários pelo link: http://www.consorciofenix.com.br/horarios.html  Se desejado, entre em contato conosco pelo sac@consórciofenix.com.br. Você pode também abrir um chamado de dúvida pela página http://www.consorciofenix.com.br/contato.html ou mesmo nos ligar pelo (48) 3025-6868 em horário comercial. Escolha o canal que melhor lhe convém, aguardamos seu contato!

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana pode ser acionada se desejado pelo cliente pelo telefone (48) 3324-1517 ou pelo e-mail atendimento.smtt@pmf.sc.gov.br. Acesse http://www.pmf.sc.gov.br e obtenha mais informações.